sábado, 21 de abril de 2018

Ler jornais já não é saber mais (35): a meteorologia jornalística

São 10 horas e começou a chover com alguma intensidade há cerca de quinze minutos. Não sei se no resto do País também. Ontem só choveu por volta das 21 horas. Não sei como foi no resto do País.
Na passada quarta-feira, o diário "i" fazia esta (mais de metade) da primeira página. Não se confirmou, claro.



«Sexta-feira já deve regressar a chuva..."

A imprensa portuguesa transformou a meteorologia e os "avisos" coloridos dos manda-chuvas institucionais portugueses em tema de notícia, ou mesmo de manchete.
E, no entanto, as previsões meteorológicas são falíveis. Ou, na língua de pau do actual jornalismo nacional, são "cada vez mais" falíveis.
Não há uma só fonte de informação, além disso. Na minha barra de favoritos do computador tenho cinco fontes de informação meteorológica. Raras vezes são coincidentes. 
Como tema noticioso, é relevante. Deixa de o ser quando a informação jornalística fica agarrada a uma só fonte, tão falível como as outras. Mas é típico de quando o jornalismo se tornou ainda mais falível (e mais irrelevante) do que as previsões dos vários IPMAs da internet.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Serviços Municipalizados: a estimativa da asneira

Não consigo considerar os Serviços Municipalizados de Caldas da Rainha como uma entidade competente.
O preço da água é demasiado elevado. Não gosto das fugas de água que ninguém controla. Desagradam-me as "reparações" de uma rede de água apodrecida que são feitas a trouxe-mouxe. Não percebo como é que tantos arranjos de rupturas só são feitos à noite, e já fora das horas de expediente.
Só me faltava ver o que está a acontecer desde Dezembro do ano passado, uma procissão de facturas "por estimativa".
A leitura dos dois contadores (uso geral e rega) tem sido enviada regularmente para os Serviços Municipalizados, como acontece desde há anos, e o resultado é este: facturas que se transformam numa espécie de pedido de Pagamento Especial por Conta.




Depois, devidamente reclamadas, as facturas da "estimativa" são anuladas e emitem outras. Os contactos têm sido quase mensais, por telefone e presencialmente.
Por causa de uma factura não paga porque estava a ser anulada, chegou a aparecer uma ameaça de corte da água e depois, como se a asneira fosse nossa, uma tentativa de cobrar 2€ pelo envio desse aviso despropositado. As explicações, inclusivamente a um jornal regional, têm sido variadas e, valha a verdade, incompreensíveis.
A situação já deu origem a uma carta ao presidente da Câmara Municipal (nova anulação de factura...) e a uma queixa à Provedora de Justiça.
Ainda não houve um pedido de desculpas. Talvez seja por isto ainda não ter acabado...

domingo, 15 de abril de 2018

Notas de prova

Visconde de Garcez — Tinto 2014 — D.O.C. Douro
Tinta Roriz e Touriga Franca
Sociedade Agrícola Casa de Vila Nova, Castelões (Penafiel)
13,5% vol.
Bom!

Notas de prova

Reserva dos Amigos — Tinto 2016 — Vinho Regional Lisboa
Sem indicação de castas
Vidigal Wines, Cortes (Leiria)
13,5% vol.
Interessante.

Notas de prova

Vinho do Pai — Tinto 2016 Reserva — Vinho Regional Lisboa
Syrah e Alicante Bouschet
Casa Agrícola Paciência, Alpiarça
13% vol.
Medíocre.

Notas de prova

Dalva — Tinto 2015 Reserva — D.O.C. Douro
Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz (15%)
C. da Silva (Vinhos) S. A., Vila Nova de Gaia
13,5% vol.
Muito bom.

Notas de prova

Termeão — Tinto 2015 — D.O.C. Bairrada
Touriga Nacional (85%) e Castelão (15%)
Manuel S. Campolargo, Anadia
13% vol.
Interessante.

terça-feira, 3 de abril de 2018

Notas de prova

Quinta da Fata — Tinto 2016 — Touriga Nacional  DOC Dão
Touriga Nacional (100%)
Quinta da Fata, Vilar Seco (Nelas)
13% vol.
Magnífico
(Bebido no restaurante O Valério, em Mangualde)

Notas de prova


Quinta do Encontro — Tinto 2012 — DOC Bairrada
Baga e Merlot
Quinta do Encontro, Anadia
13,5% vol.
Bom!
(Bebido no restaurante Quinta de Cabriz, Carregal do Sal)

Notas de prova


Campolargo Dão — Tinto 2015 — DOC Dão
Touriga Nacional (60%), Alfrocheiro (40%) e Tinta Roriz (40%)
Manuel S. Campolargo, Anadia
13% vol.
Medíocre.